70.862.067
Rolhas recolhidas
677.960
Árvores plantadas

Como funciona a reciclagem da rolha?

Imagem 3

O processo de reciclagem das rolhas de cortiça segue princípios ecológicos e tem por objetivo prolongar o ciclo de vida da cortiça e evitar resíduos, transformam o que era uma rolha noutro material. O processo de reciclagem de rolhas permite ainda que estas sejam recicladas, mesmo em países onde não existe sobreiro, dando uma continuidade ao ciclo de vida da rolha. Desde que cheguem as rolhas de cortiça a um local, não faz sentido que sejam colocadas no lixo quando têm uma potencialidade brutal de serem utilizadas noutros produtos que não rolhas.

Depois de recolhidas, as rolhas de cortiça vão para a unidade de reciclagem de cortiça. A primeira unidade de reciclagem de cortiça criada é da Amorim Cork Composites, uma subsidiária da Amorim, e está situada em Mozelos. Descarregadas as rolhas é necessário fazer uma triagem manual para se verificar a qualidade e estado das rolhas, assim como retirar possíveis contaminantes como rolhas de plásticos, tampinhas de garrafas ou outros que são colocados nos rolhinhas. Depois as rolhas são trituradas para voltarem a integrar o processo produtivo de outros produtos que são feitos a partir de cortiça granulada. Quando os granulados estão muito marcados com tintas, vinho e odores, têm que passar uma série de tratamentos de lavagem e desinfecção. Os granulados de cortiça são utilizados numa variedade de enorme de produtos desde revestimentos até produtos de design ou em transportes tão variados como metros e vaivéns aeroespaciais.