65.478.467
Rolhas recolhidas
476.400
Árvores plantadas

A Floresta, a Cortiça e a Rolha

DSC_1150

A exploração da cortiça é uma referência a nível mundial de convivência da economia com o ambiente. O sobreiro existe em zonas específicas do globo e tem características únicas ocorrem sobretudo em Portugal. (Montado de sobro e sobreiral)

O Sobreiro é uma espécie florestal protegida por legislação em Portugal pelo menos desde a Idade Média devido ao seu interesse social, para manutenção da actividade cinegética inicialmente, sendo que no século passado existiu uma evolução na legislação de protecção devido sobretudo à salvaguarda das áreas suberícolas e ao seu interesse económico, todavia, recentemente o seu valor ambiental começou a ser reconhecido internacionalmente. (Historial da Subericultura)

Até se obter a cortiça para ser transformada em produtos passam-se uma série de atividades especializadas e tradicionais encarregues a conhecedores de uma sabedoria ancestral que realizam o descortiçamento sem nunca magoar a árvore. A qualidade da cortiça e os intervalos entre descortiçamentos são essenciais para a obtenção de uma matéria-prima com um potencial super elevado. (O descortiçamento e a cortiça)

O principal produto obtido da cortiça é a rolha. Cada rolha de cortiça contém cerca de 800 milhões de células numa estrutura que nenhuma tecnologia consegue replicar. Tem sido a exploração económica da cortiça, através da venda de rolhas e outros produtos, como isolamentos, que tem mantido viva toda a floresta de sobreiro, a sua biodiversidade e os serviços de ecossistema proporcionados. (Da cortiça à rolha)

A gestão dos montados de sobro, com a exploração da cortiça gera também importantes rendimentos ao nível local e regional em parte do interior do País, pelo que é factor socio-económico que permite manter o emprego e o equilíbrio no mundo rural. (Sócio-economia da cortiça)

Em termos ambientais os montados de sobro e os sobreirais, desempenham funções importantes na conservação do solo, na regularização do ciclo hidrológico e na qualidade da água, na produção de oxigénio e consequente sequestro do carbono da atmosfera, apresentando-se também como ecossistemas florestais mediterrânicos singulares, extremamente ricos em termos de biodiversidade que estão identificados entre os mais importantes para a conservação da natureza a nível nacional e europeu. Estes bens ambientais produzidos ainda que dificilmente quantificáveis, apresentam-se como externalidades positivas suficientemente valiosas e com interesse para toda a Humanidade. (Biodiversidade e serviços ambientais)

Os montados portugueses apresentam algumas ameaças mas também novos desafios a considerar para o futuro. Dada a incrível potencialidade do sobreiro e dos ecossistemas a ele associados, têm sido alvo de uma série de atividades de proteção e intervenção sustentável. (Desafios e Ameaças)